Questionado se escolha do diretor da PF é prerrogativa do presidente, Moraes diz: “E daí?”


Apoie Joselito Müller. Clique AQUI

BRASÍLIA – Ao suspender, por meio de liminar, a nomeação de Alexandre Ramagem para ser diretor da Polícia Federal, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, passou a ser alvo de críticas e elogios.

Questionado se tal nomeação não seria uma prerrogativa do presidente, bem como se a decisão estaria interferindo em ato típico da administração pública, o ministro respondeu “E daí. Quer que eu faça o quê? Sou Alexandre, mas não sou O Grande, que já morreu e não pode fazer nada.”

  • Leia Tarde demais para pedir bom senso. Clica AQUI.

Deixe seu comentário...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: