A Divina Comédia perde inferno e ganha pôneis a pedido de leitor sensível.


O poema A Divina Comédia, de Dante Alighieri, acaba de ganhar uma nova edição. O texto da obra foi modificado, com a supressão do Inferno, a partir de sugestões feitas por leitor sensível. A função de “leitor sensível” foi recentemente adotada pelas principais editoras do país a fim de evitar a publicação de obras que vocalizem discursos ofensivos.

Miranda Zenta, proprietária da Editora Mimi Zenta, selo pelo qual o épico está sendo relançado, concedeu-nos uma rápida entrevista:

JM – Qual o papel do leitor sensível no processo de publicação de um livro?

MZ – O leitor sensível é consultado pela editora antes do livro ser publicado. No caso da Divina Comédia, nosso leitor sensível identificou que as partes do Purgatório e do Inferno eram ofensivas, pois insinuavam que muitas vítimas da sociedade tinham um destino cruel, o que é preconceituoso e discriminatório. Então substituímos o Inferno por um reino de pôneis encantados para onde vão todas as almas que vivem uma vida politicamente correta, o que é uma abordagem muito mais construtiva.

JM – E o que aconteceu com o Purgatório?

MZ – Decidimos mantê-lo, pois concluímos que ele não era tão opressor. É importante ressaltar que nem todas as sugestões do leitor sensível são acatadas. Nossa análise das alterações propostas é bastante criteriosa para não descaracterizar a obra original. Outras sugestões descartadas foram retratar Lúcifer como um latifundiário heteronormativista, o que não fazia mais sentido sem o Inferno, e abordar questões de gênero e homoafetivas na relação entre Dante e Virgílio.

JM – Você não teme que alterar um clássico da literatura universal seja mal recebido nos meios cultural e artístico?

MZ – De forma alguma. Recebi um excelente feedback dos organizadores da FliP, que celebraram as modificações e disseram que agora a Divina Comédia finalmente poderá ser apreciada no evento, já que a obra original tinha um forte viés religioso, o que contrariava o espírito laico da festa.

* Texto enviado por Bruno Arrienti Ferreira

3 thoughts on “A Divina Comédia perde inferno e ganha pôneis a pedido de leitor sensível.

Add yours

  1. Prezado Joselito Muller: Contesto o texto sobre a supressão da palavra “Inferno” da Divina Comédia. A sugestão impositiva foi requerida pelo pastor POSSIDÔNIO SAMBURÁ, da Igreja Universal as Tetas de Deus, de Conceição do Fiofó, bairro de Paulista, Pernambuco.

    Gostar

  2. Além do que, a citada obra é muito extensa. A nova versão terá apenas 25 páginas, com linguagem popular e acessível. Já se fala em uma versão cinematográfica da Disney, com trilha sonora de algum rapper da moda. Esta versão cairá na próxima prova do ENEM, na qual o empoderamento de Beatriz será o tema dominante.

    Gostar

Deixe seu comentário...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: