Estudantes invadem escola para estudar e professores fogem achando que é pegadinha


Em meio a inúmeras invasões de escolas por vagabundos movimentos sociais organizados, um fato chamou a atenção da comunidade secundarista brasileira na manhã de hoje.

O fato se deu na Escola Municipal Doutor Belzebú, localizada no centro da bucólica cidade de Lapão Roliço, onde estava havendo uma invasão de estudantes.

Mediante autorização dos líderes do movimento, professores da instituição de ensino se reuniam para aprovar, por meio de assembleia geral, uma pauta de reivindicações a ser entregues aos estudantes, de modo a conciliar seu propósito de dar aula com a luta dos discentes em defesa de uma educação pública, gratuita e de qualidade.

O documento foi entregue ao representante dos estudantes, um aluno de 23 anos que estuda na oitava série, e o pedido de nós, professores, era de que eles ao menos assistissem aula quando a situação normalizar, já que esse pessoal engajado na luta pela educação mal vem na escola”, disse um professor que não quis se identificar para evitar represálias.

Quando nossa reportagem já estava saindo do local, vários professores foram vistos pulando os muros da escola em direção à rua, bem como correrem em desespero para destino incerto e não sabido.

Ao indagar um dos professores que fugiam do local, foi possível constatar que os mesmos se evadiram da escola “pois vários estudantes, que não estavam participando do movimento estudantil que ocupou a escola, invadiram a mesma alegando que iriam assistir aula”, informa um professor.

O docente informou que vários professores se assustaram ao verem, em contrates com o acampamento dos manifestantes, vários alunos fardados cantando o hino nacional e se dirigindo às salas de aula.

Quando eles entraram nas salas de aulas, alguns professores foram verificar o que houve e, assim que puseram os pés na sala, foram saudados com um sonoro ‘bom dia, querido professor’.”

A polícia foi chamada ao local para verificar várias maçãs que foram dadas aos professores pelo alunos, pois há suspeita que as frutas tenham sido envenenadas.

Olha, eu sou professor há mais de vinte anos e nunca vi uma coisa dessas. Só pode ser pegadinha”, declarou um professor de matemática que admite ter se evadido do local por acreditar que a ação dos estudantes se tratava de uma “pegadinha para preparar alguma baderna bem pior, quem sabe até um atentado terrorista”.

* Sugerido por Alexandre Coimbra Gomes

Deixe seu comentário...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: